23 de abril de 2011

Moinho de Vento n.º6

Moinho_Vento-6_Page_01

Editorial do Último Número

Uma vez mais, a AZORICA – Associação de Defesa do Ambiente, faz chegar até aos seus leitores mais uma edição da sua revista anual “Moinho de Vento”, no ano em que esta associação comemora 20 anos de existência.

É nossa intenção que esta chegue a todos quantos se preocupam com a questão ambiental, dando a oportunidade para a publicação de textos, mas também, aos mais distraídos em relação a esta temática, fazendo despertar consciencializações para um problema cada vez mais actual.

Para o efeito, a AZORICA disponibiliza também esta edição no seu site www.azorica.org, bem como toda a actividade a desenvolver durante o corrente ano.

Os textos aqui publicados são da inteira responsabilidade dos seus autores, com a ressalva de que o seu conteúdo seja no âmbito da temática ambiental.

A publicação destes textos tem como objectivo dar informação aos leitores sobre algumas das actividades desenvolvidas pela associação, a abordagem de temas pertinentes para que estas questões sejam debatidas quer nas escolas, pois as crianças de hoje são os homens de amanhã, quer em fóruns ou em encontros ambientais realizados para o efeito.

Apelo ainda, à participação de todos nesta missão de preservação e promoção do espaço natural e à participação nas actividades que a associação levará a cabo ao longo deste ano, actividades estas com o objectivo de sensibilização e informação.

Não queria terminar sem antes agradecer a todos quantos têm colaborado com a nossa associação, nomeadamente Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, Câmara Municipal da Horta, Serviços Florestais, Parque Natural da ilha do Faial, Escuteiros locais e alguns a título individual.

A todos um Bem Hajam!

A Presidente da Associação

Carla Capela Pinheiro

12 de março de 2011

Cancelamento do Circuito da Costa do Salão e Cedros

Por motivo de condições atmosféricas adversas, a realização deste circuito, previsto para amanhã, será adiado para uma data posterior que será devidamente anunciada.

18 de maio de 2010

Comemorações do Dia Mundial da Biodiversidade

Como forma de homenagear as espécies ameaçadas que fazem parte integrante da biodiversidade mundial e açoriana, surgiu a ideia de unirmos a música clássica a imagens alusivas ao tema. Assim, com a colaboração do Conservatório Regional da Horta, a AZORICA apresenta no dia 21 de Maio, no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional da Horta, pelas 21 horas, um mini concerto alusivo ao tema da biodiversidade, que associará a música clássica a imagens da biodiversidade.

No Sábado, pelas 10 horas, com a colaboração do Parque Natural do Faial, a AZORICA irá realizar uma visita ao Jardim Botânico do Faial, para que todos possam conhecer um pouco mais da nossa biodiversidade vegetal, sendo esta a principal riqueza do nosso património natural, a Floresta Laurissilva.

Convidamos a população a estar presente nas actividades levadas a cabo para comemoração do Dia Mundial da Biodiversidade.

Dia Mundial da Biodiversidade

10 de maio de 2010

Núcleo de Fotografia de Natureza

Termina hoje, 10 de Maio, o Curso Avançado de Fotografia de Natureza, organizado pela AZORICA entre os dias 7 e 10 de Maio. Esta instituição de defesa do Ambiente, com a promoção deste curso, pretende dinamizar o Núcleo de Fotografia de Natureza desta associação, levando a que se realizem futuramente nas ilhas do triângulo, saídas de campo com o objectivo de capturar o que de mais belo existe na Natureza, bem como a realização de futuras exposições fotográficas.

Ontém, Domingo 9 de Maio, integrado neste evento, foi lançado no Bar do Teatro o livro Metamorfose do autor António Luís Campos, formador do referido curso, seguindo-se de uma tertúlia sobre a concepção e tema do livro – as borbuletas. Esta apresentação contou com a presença de alguns alunos de escolas do Continente e Açores, que estiveram na Horta para as Olimpíadas do Ambiente, bem como de alguns formando do curso de fotografia e população local.

Veja fotografias deste evento aqui

6 de maio de 2010

Livro Metamorfose

Integrado no curso de fotografia que a AZORICA levará a cabo entre os dias 7 e 10 de Maio, Curso Avançado de Fotografia de Natureza, ministrado pelo formador António Luís Campos, a AZORICA promoverá, no Bar do Teatro, a apresentação do livro Metamorfose – O Mondego num abrir e fechar de asas, dos autores António Luís Campos e Pedro Pires, seguindo-se de uma tertúlia sobre Fotografia de Natureza.

Azorica_metamorfose

26 de abril de 2010

Conclusões do IX Encontro Regional de Educação Ambiental e Eco-Escolas

cartaz_azórica_peq

Como principais objectivos, o IX Encontro Regional de Educação Ambiental e Eco-Escolas, pretendeu proporcionar a possibilidade de se adquirirem conhecimentos, valores, aptidões para proteger, melhorar e acarinhar o ambiente e partilhar práticas e experiências para uma educação e formação de cidadãos ambientalmente cultos, intervenientes e preocupados com a defesa e melhoria da qualidade do ambiente natural e humano.

Assim sendo, este encontro mobilizou cerca de 120 educadores, professores, técnicos do ambiente e investigadores, na reflexão e procura de novas formas de acção numa área mui nobre, como o ambiente.

A sessão de abertura reforçou e congratulou todos os esforços desenvolvidos em prol desta temática e permitiu que se sonhe mais alto e se alargue ainda mais a educação ambiental, tornando-a um dos pilares da formação dos cidadãos.

A primeira intervenção, a cargo do Dr. Pierluigi Bragaglia proporcionou-nos uma aula na natureza e apresentou-nos recursos/ideias/sugestões utilizados em Palau’s, pequeno país insular da Micronésia, e passíveis de se aplicar na realidade açoriana, valorizando os circuitos pedestres como meio promotor, por excelência, do eco-turismo.

O Parque Natural da Ilha do Faial, apresentado pelo Eng. João Melo, tem como objectivo estabelecer uma rede ecológica coerente que permita um elevado nível de identificação entre os valores a proteger, sejam estes naturais, paisagísticos ou culturais e o nível estatutário atribuído às áreas protegidas.

As alterações climáticas nos Açores foram o mote para o debate apresentado e moderado pelo Prof. Dr. Brito de Azevedo, concluindo-se que só de forma esclarecida e com base em conhecimentos detalhados dos nossos condicionalismos e potencialidades, será possível enfrentar, com êxito, as mudanças que se adivinham resultantes das alterações climáticas, mantendo a nossa tradicional relação com o território, com o mar e com os elementos do clima, factores indissociáveis da nossa personalidade.

Os SIG’s, Sistemas de Informação Geográfica, expostos pela Drª Andreia Porteiro, possibilitam e facilitam a análise, gestão e representação do espaço e dos fenómenos que nele ocorrem.

E num Arquipélago como os Açores que apresenta uma rica e vasta geodiversidade e um importante património geológico, composto por diversos locais de interesse científico, pedagógico e turístico, o Geoparque mostra-se como a base da estratégia para a promoção do bem-estar das populações, mantendo o máximo respeito pelo ambiente. O Dr. Paulino Costa apresentou este Geoparque como uma mais-valia para a geoconservação, a educação ambiental e o desenvolvimento sustentável.

A biodiversidade marinha e a importância desta no turismo dos Açores, foi trazida a este Encontro pelo Prof. Dr. João Gonçalves que ao apresentar dados relativos à diversidade biológica marinha sublinhou a necessidade de se conservar este rico património existente e regulamentar as actividades marítimo-turísticas para que se possa oferecer um turismo de excelência nesta região.

A Mestre Fernanda Serpa transmitiu a importância do trabalho de campo no ensino da Geografia, como um meio de providenciar ao aluno uma ferramenta e um método geográfico essencial. Citando o grande geógrafo Orlando Ribeiro, pai da geografia em Portugal, “no campo, é onde realmente se aprende a observar e a interpretar a paisagem e a relacionar os acontecimentos”.

A preocupação da autarquia local na gestão dos resíduos e na educação ambiental foi partilhada neste encontro pela Eng.ª Sofia Matos que apresentou os diversos projectos criados e desenvolvidos pelo município, expondo o mais recente projecto de educação ambiental, que visa uma sensibilização directa a toda a comunidade pela simpática mascote, o Ambi.

A partilha de ideias e actividades no Projecto Eco-Escolas, apresentados pelos professores Laureta Silva e Álvaro Areias, proporcionaram um momento de debate e troca de experiências enriquecedoras e ilustrativas do objectivo fundamental deste projecto, a educação ambiental dos jovens. Partilhou-se, também, a necessidade de valorizar os docentes nesta tarefa, por vezes hercúlea, com a regulamentação de tempos não lectivos dedicados à coordenação destas actividades nas escolas.

Esta manhã, experimentou-se:

a reutilizar com arte;

a contar histórias amigas do ambiente;

a conservar endémicas;

a seguir o ciclo de separação de resíduos sólidos urbanos e;

a desenvolver experiências laboratoriais, como a produção do bio-diesel

Este encontro não ficaria completo sem o contacto directo com a natureza e a riqueza paisagística da Ilha do Faial. Deste modo foi possível deslumbrar os participantes com o Vulcão dos Capelinhos e o seu Centro de Interpretação, a Caldeira, a Furna Ruim e o Pico Verde. Lamentavelmente e por razões que nos ultrapassam e já apresentadas, não se realizou o circuito da Levada, um dos mais belos percursos dos Açores.

Em conclusão, atrevemo-nos a afirmar que vamos daqui mais ricos, pois o ressurgimento destes encontros contribuirá, certamente, para a qualidade do ambiente nos Açores, para uma melhoria da formação dos docentes, e consequentemente dos nossos jovens, bem como para o surgimento de projectos que têm, sempre, por objectivo a preservação e promoção do espaço natural.

Horta, 24 de Abril de 2010

FOTOS DO ENCONTRO

4 de abril de 2010

Curso Avançado de Fotografia de Natureza 7 a 10 de Maio no Faial.

Gray heron at Ria Formosa Natural Park

Nos dias 7 a 10 de Maio a AZORICA irá organizar um curso avançado de fotografia da Natureza, ministrado pelo fotógrafo António Luís Campos.

Realize a sua inscrição clique aqui

Inscrições até ao dia 20 de Maio. Será dada prioridade aos sócios.

As restantes inscrições serão seleccionadas por ordem de inscrição.

3 de abril de 2010

IX Encontro Regional de Educação Ambiental e Eco-Escolas

cartaz_azórica_peqNos dias 22, 23 e 24 de Abril a AZORICA irá promover o IX Encontro Regional de Educação Ambiental e Eco-Escolas, para Professores, Técnicos de Ambiente e Associações de Defesa do Ambiente.
Este evento pretende ser um espaço de debate e informação sobre as questões do ambiente na Região Autónoma dos Açores.

Pode efectuar a sua inscrição em www.azorica.org

Para aceder ao programa do IX EREA-EE clique aqui

21 de março de 2010

22 de Março Dia Mundial da Água – Aprenda a poupá-la

 

AZOrica002

Para reduzir o consumo anual de água e, naturalmente, a sua conta mensal, basta aplicar estas simples dicas em casa, tornando-os, a pouco e pouco, em hábitos de poupança para o seu quotidiano. Para além de poupar dinheiro, estará a salvaguardar um dos bens mais preciosos da terra, que infelizmente se tem tornado cada vez mais escasso.

  • Pode poupar água começando por actos tão simples como quando lava as mãos, os dentes ou se barbeia. Se mantiver a torneira fechada ou encher o lavatório para fazer a barba, pode poupar entre 10 a 30 litros de água por dia.
  • Na casa de banho, opte pelo duche em vez do banho de imersão (gastará 50% menos água) e, se possível, encurte a duração dos duches (menos 2 minutos debaixo do chuveiro implica uma poupança de 40 litros de água!) ou desligue a água no momento de se ensaboar e/ou de aplicar champô.
  • Ponha todas as torneiras a poupar para si com redutores de fluxo – uma pequena peça que se encaixa na torneira e que consegue reduzir o seu caudal em cerca de 50%. Outras sugestões incluem as torneiras electrónicas com sensores, activadas apenas com a passagem das mãos; ou as torneiras temporizadas, que desligam automaticamente após alguns segundos.
  • Os redutores de fluxo podem ainda ser aplicados aos chuveiros ou, em alternativa, pode adquirir um chuveiro de baixo fluxo para poupar ainda mais água!
  • Enquanto espera que a água na banheira ou duche aqueça, coloque um balde ou uma bacia para recolher os primeiros litros de água, utilizando-a para regar plantas, para encher os bebedouros de animais de estimação, para lavar uma peça de roupa à mão ou o chão da cozinha.  
  • Cada vez que descarrega o autoclismo, gasta 10 a 15 litros de água. Possíveis sugestões: contenção nas vezes que descarrega, instalação de autoclismos duplos ou com botão de controlo, recurso ao método tradicional de colocar uma garrafa cheia de água no depósito do autoclismo. Na deite lixo desnecessário na sanita, vai obrigar a mais descargas.
  • Certifique-se que não tenha fugas de água em nenhuma divisão da casa – podem parecer apenas alguns pingos, mas, se não forem concertadas, as fugas podem custar-lhe mais 30 litros de água por dia!
  • Não lave o carro com uma mangueira, mas sim com um balde e esponja – em vez de 500 litros de água, vai consumir apenas 50 – uma grande diferença para a sua carteira!
  • Na cozinha, não deixe a torneira a correr enquanto lava a loiça, optando por encher um dos lados do lava-loiça com água fresca que pode servir para retirar o detergente das peças já esfregadas. Se tem máquina de lavar, não passe a loiça por água antes de a colocar na máquina – não contribui para a eficácia da lavagem e consegue poupar até 75 litros!
  • Ainda no que toca às máquinas de lavar loiça e roupa, só as ponha a funcionar quando estiverem cheias, se não, o desperdício de H2O será elevadíssimo. Se não tiver alternativa, escolha programas mais curtos e/ou económicos, para garantir algum nível de poupança.
  • Quando lavar alimentos, caso das frutas e legumes, aproveite essa água para regar as plantas lá de casa. O mesmo truque pode ser aproveitado quando muda a água de um aquário.
  • Mantenha sempre uma garrafa de água no frigorífico, para quando lhe apetecer água fresca, não deixe a torneira a correr até esta estar suficientemente fria.
  • Quando tiver de cozinhar com água, reduza a quantidade que coloca na panela e cozinhe com a tampa. Para além de poupar água, vai conservar muitos dos nutrientes e vitaminas dos alimentos cozinhados desta forma.
  • Utilize água fria sempre que possível, poupando assim na água quente. Evite descongelar alimentos com a torneira da água a correr, optando antes para um descongelamento natural ou com recurso ao microondas.
  • Quanto à rega de plantas e jardins, esteja atento ao solo para saber quando é que os seus verdes precisam realmente de água. Sabia que a maior parte das plantas morre de excesso e não da falta de água? Se a jardinagem não for a sua especialidade, existem os medidores de humidade do solo para o ajudarem – pode poupar muita água com recurso a esta pequena engenhoca! Nos meses mais quentes, regue o jardim de manhã quando estiver mais fresco, para que a água não evapore muito depressa. Evite regar em dias ventosos. Regue devagar, para permitir que a água se infiltre bem no solo, o que vai implicar menos regas.
  • Se tiver um sistema de rega, teste a sua eficácia em termos de tempo necessário para regar, programe-o para de manhã e certifique-se que a água não está a ser lançado para zonas que não sejam verdes!
  • Se conseguir, resista às decorações de jardim, como as quedas de água, chafarizes ou fontes, a não ser que essa água possa ser reciclada.
  • Se tem piscina, procure trocar os filtros tradicionais por filtros específicos, que permitem poupar água. Aplique uma cobertura na piscina – ao fazê-lo irá reduzirá a evaporação da água em 90%, ou seja, poupará aproximadamente 3800 litros de água por mês!
  • Aproveite a água da chuva, captando-a em baldes para depois utilizar para regar as plantas e o jardim, ou para usar na lavagem das varandas, dos pátios e caminhos do exterior da casa, por exemplo. Caso contrário, evite a mangueira quando quiser limpar as zonas exteriores da casa, utilizando antes uma vassoura.

In saberpoupar.com

Página Ambiente Nº1 – Tribuna das Ilhas 19 de Março